Por que criei este blog?

 
Acho que a primeira resposta, acima de tudo, é porque eu tenho problemas com a aceitação de fatos inexplicáveis.
  Sempre que alguém me disser "é assim porque é", eu sei que algo em mim vai discordar e se mover em relação a isso. Aconteceu com os jogos de tabuleiro.


  Tive longas e estressantes discussões com diversas pessoas que conheci pela internet, pessoas que tem suas razões para dizer o que dizem. Não as acho piores do que eu, só diferentes. Elas acreditam naquilo, quem sou eu para dizer que elas estão erradas? Elas acham que os jogos tem de ser caros, que a dificuldade de produzir algo que tem um mercado restrito justifica o preço que eu considerado alto.
 Eu acho que isso é só uma forma de manter o que é restrito desta forma, como se o fato de popularizar um hobby, que carece de uma falta crônica de participantes, o tornasse menos interessante. "Somos um clubinho de pessoas superiores que jogam jogos de tabuleiro".É como eu enxergo.
 Sei que muitos pensam comigo, mas que ainda enxergam o homemade como algo errado, como pirataria.
Para mim, isto é tão ridículo quanto uma pessoa dizer que o fato de uma pessoa saber cozinhar faz com que ela vá menos a um restaurante.Você não paga pelo jogo, paga pela experiência dele, pelo que ele te proporciona.
  Como acredito que esta discussão vai continuar durante toda a existência deste blog, e provavelmente eu enfrentarei montes e montes de rage, vou falar de outra influência que me levou a abrir este blog, e como ela mudou a forma como vejo o que faço.
O livro "A arte de pedir", da autora, cantora e performista Amanda Palmer. Ele me levou a um outro ponto de vista do que é ser um artista (não se engane, jogos são arte) e de como tudo que você precisa para viver de arte é deixar que as pessoas te ajudem.
Decidi fazer isso. De quebra, vou me livrar de um monte de problemas.
Um jogo de tabuleiro tem uma grande quantidade de componentes, e colocar componentes dentro de uma caixa e mandar para uma pessoa é uma grande responsabilidade. Uma responsabilidade que eu não quero para mim.
Eu sou um contador de histórias, um escritor que está experimentando a sensação de colocar regras dentro de uma ideia e transformá-la em um jogo. Isso não me qualifica em buscar fornecedores e oferecer a coisa toda, até porque eu já tenho outros projetos.
Também não quero me aliar a uma editora, pelo menos não por enquanto.Para que complicar? Colocar uma pessoa que vai ficar em dizendo como fazer as coisas e tudo o mais? Não quero.
Gosto da liberdade de ser o único responsável pelas minhas ideias, e mudá-las de acordo com o gosto de quem está consumindo. Esta conexão direta é fantástica. É esta rede que eu quero para mim.
Seja bem vindo a rede de jogos. A ideia inicial é esta, o resto a gente vai descobrindo no caminho.

  Acho que a primeira resposta, acima de tudo, é porque eu tenho problemas com a aceitação de fatos inexplicáveis.   Sempre que alguém m...

2 comentários:

  1. Olá, tem ideia de criar o acervo de jogos, aqui no seu blog? com lista e links disponíveis para download? Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo!
      Antes de tudo, bem vindo!
      A ideia é divulgar sites , empresas e pessoas que façam isto, colocar os meus e dicas e resenhas de jogos PNP, além de dicas para homemades e jogos comerciais que sejam mais baratos que a média.
      Continue e contato! Dentro em breve teremos novidades!

      Excluir