Inner Geek: Entrevista com Fel Barros

22:54:00 , , 0 Comentários

Nos últimos tempos tivemos mais um lançamento no mundos dos PNPs, e como somos um blog que decidiu falar de PNPs em geral, não poderíamos deixar de lado mais esta novidade.
O inner geek é um jogo criado pelo fel Barros, do Ace Studios, em parceria com o Otacoiza, que entou com a parte gráfica/editoração. A ideia do jogo é brincar com os estereótipos de dentro do próprio mundo boargamer, que apesar de estar ainda em processo de crescimento, já desenvolve facetas caricatas, que são exploradas de forma divertida, mas não ofensiva, pelo jogo. BAIXE O JOGO AQUI




Batemos um papo com o Fel sobre esta iniciativa, sobre outros projetos dele e do Ace Studios, além daquelas dicas que eu costumo pedir, já que sou, assim como muitos que estão por aí, criando seus jogos, um iniciante no mundo do game design.

Conte-nos mais sobre o processo de criação do inner geek e qual foi seu objetivo com ele?
O Inner Geek nasceu depois de eu jogar um party game obscuro do Friedmann Friese chamado Ludoviel em uma mesa cercada de amigos gamers. Eu pensei "caramba, um jogo especificamente voltado para gamers seria muito legal. Como eu curto muito "ver de fora", em um dos chopps com os amigos dos jogos, começamos a pensar em rótulos para jogadores e daí eu decidi que faria um jogo sobre o "metagame"que é ser um jogador e tudo no universo dele. Meu objetivo nunca foi comercial porque eu sabia que não era um jogo comercial. Foi então que eu chamei o pessoal do Otacoiza (que trabalhou comigo no Sapotagem) para ilustrar e o projeto surgiu.


    Como você se envolveu em game design e quais as suas dicas para quem está começando a criar seus jogos?
Eu sempre gostei de jogos e trabalhei em alguns projetos pessoais (antes de conhecer os modernos). Quando eu percebi que o hobby tinha como crescer , fui convidado a trabalhar numa startup de jogos . Lá dentro , acabei enviesando mais para game design corporativo e depois acabei saindo para criar o Warzoo.

Como me perguntam muito isso e eu sempre respondo "joguem", vou elaborar: Procurem conhecer as mecânicas mais importantes, aprofunde-se em jogos competitivos (pelo menos um), a ajuda que o conhecimento profundo de Magic: The Gathering trouxe para o meu trabalho é inestimável e joguem os principais pilares do hobby, tanto os clássicos como os "principais" de cada gênero.

O simpático logo do Ace Studios.



 Como alguém já mais inserido no mercado, como você enxerga essa expansão do hobby?
Como alguém que viu o Luish dando murro em ponta de faca com 40 cópias feitas artesanalmente em resina e o Halaban/Zatz fazendo jogos cheios de limitação para a Game Office, é sensacional o que está acontecendo agora. A forte competição e quantidade de títulos lançados é fundamental para "filtrar" projetos ruins. Amadores de outrora que conseguiam vender com a proposta de "movimente o mercado nacional" agora podem dar lugar ao pessoal mais sério.


    Na sua opinião, qual o papel do PNP no mercado?

O PNP é muito forte lá fora. Aqui, como o hobby em si, ainda está engatinhando. E vale sempre reforçar que PNP não é pirataria (como a galera fazia imprimindo Coup em mini-euro) . Eu acho que é uma forma tanto de deixar o hobby super acessível (o Inner Geek, por exemplo, a gente fez em preto e branco justamente para a galera pegar leve com o gasto de tinta) quanto de estimular o pessoal que curte esse hobby à parte do "crafting" , galera curte fazer divisória, caixinha, porque não, fazer um jogo também?


     Você pode comentar de algum projeto futuro, tanto comercial quanto PNP?
PNP , no momento, eu não tenho nenhum mas deixo aqui um salve e uma recomendação para a galera pegar o Fala, Dercy! (que nós já falamos aqui) de dois amigos meus, Eric Teixeira e Rômulo Marques (que assinou o Gekido comigo). Sobre meus jogos, Sapotagem sai nos próximos meses (jogo de vaza que tive o prazer de trabalhar junto com o Warny Marçano) e o Encantados, versão nacional do Plato3000 do Shea Parkes que eu não assino mas desenvolvi, mudamos algumas coisas e colocamos até 6 jogadores. É um belo jogo que teve uma preocupação extra com a arte toda assinada pelo Daniel Lustosa.

Quer saber mais sobre o Fel e o pessoal do Ace Studios? Curta a página deles  e fique sabendo de todas as novidades.
Ainda esta semana usaremos o Inner Geek para fazer um pequeno tutorial por foto (não rola ainda em video, a não ser que alguém em Sampa queira me ajudar a produzir) de como cortar cartas para o seu PNP e talvez falaremos um pouco mais sobre o andamento do Machina: Simulacro de Guerra.



  

Nos últimos tempos tivemos mais um lançamento no mundos dos PNPs, e como somos um blog que decidiu falar de PNPs em geral, não poderíamos de...

0 comentários: