Meus 20 centavos: vivendo a diferença e descobrindo meus limites



Eu gosto de produzir em PNP. Alguns designers, que se tornaram muito meus amigos, não gostam. E eu aprendi a conviver com essa questão, sem achar que preciso estar certo para eles estarem errados.
Como você se sente quando começa certas conversas...



Da mesma forma, eu tenho muito medo de comprar jogos com mecânicas de estilo alemão (também conhecidos como euro games), porque não tenho grupo em casa que goste mesmo deste tipo de jogo. Entretanto, adoro quando os amigos me convidam para uma partida de algum euro novo e sempre que tenho tempo jogo um Puerto Rico online.

Finalmente, como designer, não me sinto confortável ainda criando jogos com mais de 4 jogadores. Alguns dizem que isto é comum, mas eu ainda acho um defeito.

Não... isso não é uma lista do tipo “dez defeitos que eu preciso admitir”. São apenas conclusões as quais cheguei durante meu aprendizado como jogador e desenvolvedor de jogos de tabuleiro.

O mais interessante ainda é que eu descobri que posso ser amigo e dividir coisas em comum com pessoas que discordem de mim em várias coisas e isso só me faz enriquecer as minhas referências.

Ao contrário do que muitos dizem, o segredo de uma discussão realmente sadia não é evitar quem discorde de você, basta saber discordar com respeito e elegância. (Mais fácil falar do que fazer, mas a gente vai aprendendo).

Da mesma forma eu deixei de prestar atenção a preconceitos com jogos e tipos de jogos. Estreei meu zombicide antes de ontem e, como designer, entendi qual a questão dele, mas mesmo assim, como jogador, ele me deixou super animado e, se não fossem as obrigações do dia, estaria tentando chegar ao maldito helicóptero até agora.

O que você quer dizer com isso?


Simples. Que o design de jogos é uma atividade criativa, como qualquer outra, e a pessoa que vai se dedicar a ela não pode ter preconceitos.

Quando estamos falando de todas estas questões, eu me lembro de quando comecei a escrever e só lia fantasia e aventura... minhas histórias não eram tão fortes e somente quando comecei a colocar meus sentimentos e experiências nas história, a coisa começou a fluir.

Da mesma forma acontece quando eu comecei a publicidade e de quando eu comecei nos jogos. O Machina era meu desejo de ter um jogo que me lembrasse dos RTS que eu joguei quando era mais novo.
Isso vai incluir o que você jogar. Não se limite por tema, mecânica, plataforma ou mídia. Jogue tudo, de Bingo à agrícola, jogue war e banco imobiliário de novo, tente “consertá-los”. Antes de tudo divirta-se no processo e tente nunca estragar a diversão dos outros com suas opiniões.

That guy vai nas mídias sociais falar mal do jogo do amiguinho...

Eu gosto de produzir em PNP. Alguns designers, que se tornaram muito meus amigos, não gostam. E eu aprendi a conviver com essa questão,...

0 comentários: