Porque Game Designers também amam


Lançamos o Machina. Fomos a vários eventos nesse ínterim. Desde nossa última postagem muita coisa aconteceu, coisas que virão em outros posts. Pois o post de hoje é uma homenagem (atrasada) às nossas esposasse namoradas, que são parte imprescindível para o nosso sucesso.

Cada um dos criadores comprometidos fez uma declaração de amor à sua esposa/namorada, comentando a relação delas com a árdua (e algumas vezes ingrata) função de desenvolvedor de jogos dentro do Studio Teia de Jogos.

Jordan e Rayane


Desde a criação do Studio, quando ele ainda era apenas um projeto, ele sempre foi motivo de algumas discussões. Engraçado comentar, mas a Rayane é a musa inspiradora do Machina, mais do que qualquer outra coisa, pois foi o fato dela não ter gostado do Empire Engines que me motivou a pensar o jogo como ele é atualmente.

Além disso, em diversos momentos do Studio, especialmente os mais incertos, ela foi uma das pessoas com quem eu mais conversei e que me deram força para continuar. Com isso, posso dizer, sem medo de ser injusto, que muito do sucesso do Studio é também devido ao apoio dela.

Te amo Mozi.

Gabriel Tardivo, Silvia e Letícia


Não existe profissão que não atrapalhe casamento, isso é fato, mas ter uma pessoa ao lado te ajudando a você a superar barreira não tem preço!

Sou desenhista há mais de 15 anos. Quando eu a minha esposa nos conhecemos, ela já sabia da minha profissão e ela caminhou os caminhos de pedras e viveu junto comigo as minhas lutas e frustrações.

Quando entrei na Tip Top foi sonho realizado, com a minha vida estabilizada construiríamos nosso futuro. Não tardou, porém, tive que procurar outros projetos para ajudar a pagar as contas. Ela estava ao meu lado me apoiando, mas junto vieram grandes frustrações, porque todo projeto parava no meio, acaba gastando um dinheiro que não tinha para poder comprar materiais de desenhos (que são muitos caros) e nada.

Quando o Jordan me chamou para me juntar ao Teia, a princípio eu não queria me envolver, apenas ajudar, até porque todos os projetos que eu participei não resultaram em nada, somente promessas. Quando eu contei para Ela que eu iria me envolver em mais um projeto, ela não gostou. Ela simplesmente pediu para eu esperar pelo trabalho da Glass, que já estava bem engatilhado.

Quando as coisas no Teia começaram a andar eu me vi numa bifurcação, escolhi entrar de cabeça no Teia e ajudar esse projeto a crescer. Aos poucos minha esposa foi ganhando confiança e vendo o projeto crescer e foi cada vez mais me apoiando.

Balancear tudo isso não é fácil, mas agradeço a Deus por ela está ao meu lado, pois ela é a minha segunda voz, me ajudando a tomar decisões importantes.

Jonatas e Bia


Desde que comecei a trabalhar com boardgames, minha esposa - a linda, graciosa e exuberante Bia - sempre esteve comigo: em casa, me aturando por horas na frente do PC ou na mesa da cozinha cortando papel... Mais horas testando joguinhos que pra ela não faziam o menor sentido. E mais horas me acompanhando nos eventos, que por sinal ficam bem longe de casa e duram o dia todo...

Notavelmente ela não tem tanta afinidade com jogos como eu, mas ela até que tenta. Acho que ganha a maioria das partidas de Coup. :) Quero agradecer a ela por toda a paciência comigo e dizer que espero um dia sermos recompensados. Espero que minha participação no Studio renda muitos bons frutos. Te amo, Bia!

Só para comentar, o nosso Ilustrador Rafael Sinott está solteiro... Atenção garotas do Rio Grande do Sul!

Lançamos o Machina. Fomos a vários eventos nesse ínterim. Desde nossa última postagem muita coisa aconteceu, coisas que virão em outros p...

0 comentários: