Uma visão sobre a ilustração por Rafael Sinott

Sou Rafael R. Sinnott, ilustrador do Teia de jogos e venho até aqui para falar um pouco do meu trabalho, tanto dentro do Studio quanto fora dele.


Comecei desde cedo a trabalhar com ilustração, porem meu primeiro trabalho profissional foi com animação. Apenas quando me inseri em ilustração digital foi quando realmente comecei a ver meu trabalho não apenas como um lazer, mas como minha profissão.



No Machina, trabalhei pela primeira vez como “suporte”, responsável pelo pelas cores, estética e aprimoramento doas ilustrações feitas pelo Ulisses.
O trabalho das cores foi feito no Photoshop, onde era introduzido os efeitos de “envelhecimento” da imagem. Já no TV Paint, eram feitas as cores e as diferenças dos tons de cinza para assim, dar mais “vida” a ilustração.
Algumas vezes, revisei a arte feita pelo Ulisses, realizando qualquer modificação ou complementação que fosse pedido a mim.



Já, meu outro trabalho com jogos foi com o Malleus, onde fiz as artes do jogo que foram complementadas, aperfeiçoadas e pintadas por outro colega meu.
Este foi meu primeiro trabalho no cenário de Boardgame e ele me ensinou bastante coisa em como desenvolver um personagem, criando o concept e buscando referencias de como construí-lo. Neste projeto, o responsável pelas arte era eu, portanto, todo o traço e estética do jogo foi desenvolvido por mim. Como trabalho com animação, é mais fácil pra mim adaptar meu traço para uma pegada que lembre mais as ilustrações de HQs americanas, quanto japonesas.



Por fim, posso também citar outro trabalho que faço, que é a HQ independente Rising Destiny.
Este projeto é basicamente meu portfolio e todos aqueles que quiserem acompanhar meu trabalho, podem ver através dele.
Como Rising é uma HQ, ele tem um tipo de produção diferente de uma ilustração comum. Pois numa HQ tudo é mutável, e por causa dos diversos quadros, algumas cenas mudam, são removidas, acrescentadas. Sem contar que por muitas vezes, uma cena precisa dialogar com a outra, e ainda por cima elas tem que ser feitas pensando no dialogo dos personagens.


Toda essa construção de uma HQ a torna um trabalho bem complexo, principalmente para ser feito sozinho igual a uma animação. Todavia é um trabalho que ensina muito a ilustrar, a representar o que queremos dizer, e claro, a desenhar aquilo que desconhecemos.
O que vocês acharam das experiências e das técnicas 

Sou Rafael R. Sinnott, ilustrador do Teia de jogos e venho até aqui para falar um pouco do meu trabalho, tanto dentro do Studio quanto fora...

0 comentários: